sexta-feira, 24 de outubro de 2014

Se há coisa positiva que surgiu depois do divorcio, foi o fortalecimento de vínculos com certas pessoas. Nomeadamente família. Mas a pessoa que me refiro hoje é a minha irmã.

Eu e a minha irmã temos uma diferença de 10 anos. Foi ela que me aturou mais que ninguém. E vice-versa. Uma história entre irmãos tem um pouco de tudo: ciúme, ódio, amizade, discussão, momentos alegres, apoio e amor. Nós não fomos excepção.

Na altura que me separei coincidiu com o nascimento do meu sobrinho. Para mim, foi um misto de tristeza e alegria. Não sabia como havia de estar: se chorar por ter acabado um casamento ou rir de alegria por ter sido tia. O que é certo é que mesmo no mau momento em que eu passei, a minha irmã em pleno final de gravidez e inicio de maternidade (e acreditem que a vida dela ficou de pernas para o ar), deu-me um apoio extraordinário.

Hoje somos mais unidas do que nunca. Falamos mais e estamos mais juntas do que alguma vez estivemos. Sim, porque apesar de nós termos vivido juntas na mesma casa cerca de 27 anos, havia a diferença de idades e de mentalidade. Ainda existe ambos, mas agora pouco interessa.

Não interessa nada se não temos os mesmos gostos, a mesma idade, os mesmo objetivos, os mesmo idealismos...somos irmãs. E somos mais felizes que nunca agora.

Sem comentários:

Enviar um comentário