quarta-feira, 13 de maio de 2015

Lá se foi o encanto...GRAÇAS A DEUS!!

Após o meu divorcio (e já vão 11 meses), não me envolvi com ninguém. Nem namorado, nem só um achega, nem um beijo, nem um encontro...nada. Não se proporcionou nada destas coisas, ou simplesmente não procurei.

Mas, entretanto, interessei-me por uma pessoa. Não vou contar a história porque sabe-se lá...algum dia lêem isto e associam logo a pessoa. Interessei-me mas, no entanto eu pensei sempre que esta minha pequena "obsessão" era fruto da minha carência afectiva. Mas pronto, lá começava a pensar no moço e a imaginar que se não houvesse tantos obstáculos, ele era o homem perfeito e ideal (ah...é verdade, o primeiro obstáculo é que ele não está interessado em mim, é só amigo). Os meus desejos no futuro eu visualizava-os com ele, pensava, desejava, suspirava e deprimia porque era uma paixoneta platónica.

Mas ontem isso mudou.

Sabem aqueles pequenos defeitos que os outros têm e que vos fazem pensar duas vezes sobre a dita pessoa? Pois. Aquele pequeno defeito que aos olhos dos outros (e do próprio) não é assim nada de especial, mas que mesmo assim vocês ficam a olhar meio de lado para eles e não conseguem digerir?

Pois foi isso. Nada de especial a situação, mas foi o suficiente para o "príncipe" deixar de ser "encantado". No inicio pensei "epa que estúpido que és em seres assim..." e fiquei irritada com isso, mas depois senti um alivio pelo rapaz ter perdido o encanto e fiquei tão feliz.

Mas feliz por não estar agora apaixonada? SIM!! O mal não era estar apaixonada, o mal era o drama de me estar a apaixonar pela pessoa que não devia. E para dramas amorosos já me bastou o meu ultimo relacionamento...fiquei escaldada dos dramas e complicações.

Agora quer-se simplicidade e coisas boas. Sem dramas.

Sem comentários:

Enviar um comentário