terça-feira, 29 de maio de 2018

Ou seja

Abriu a época oficial da Feira do Livro de Lisboa. Ou seja, estamos quase em Junho, ou seja, estamos quase no Verão, ou seja, estou quase de férias, ou seja, abriu a época oficial de comer farturas.

E por aí adiante. Ontem fui a feira mas não comprei livros e nem comi farturas. Mas a feira está aberta até 13 de Junho, ou seja, antes de irem aos santos populares ainda podem ir lá enriquecerem culturalmente.







quinta-feira, 10 de maio de 2018

Esher: o gênio da arte.

Opa e é holandês. Maurits Cornelis Esher, mais conhecido por Esher, foi um artista gráfico holandês que nasceu em Leewarden que fica na província de Friesland nos Países Baixos. O que é que isso tem de interessante? Talvez nada, é só porque o meu namorado nasceu em Friesland, só por isso. 

Bom mas fui a exposição de Esher no Museu de Arte Popular em Belém, Lisboa, na passada terça-feira. Já estava para ir lá a meses e como está prestes a acabar a exposição tinha que ir já. E sim, fui um pouco pelo facto de ser holandês porque não conhecia muito o da obra do senhor, apesar de já ter visto imagens da arte dele. 
Qualquer um de nós já viu a sua arte nem que fosse em livros de filosofia ou psicologia. O homem usava a geometria e explorava a representação de construções impossíveis ou metamorfoses ou infinitos. É difícil explicar mas a exposição está muito bem conseguida. No preço do bilhete inclui um audioguia que vai ajudando a perceber a história e as ideias do artista. Para além disso ao longo da exposição apresentam-nos alguns desafios e interações com o público.

























A exposição termina a 27 de maio de 2018.
Se não conseguirem ir a tempo sempre podem ir ao Museu do Esher em Haia na Holanda... digo eu.

domingo, 29 de abril de 2018

Ora Bom Dia

Desde já peço desculpa pela minha falha e falta de presença neste espaço. Sim desisti de postar fotos diárias porque não me fazia sentido postar fotos...sem sentido...se é que faz sentido.
Eu gosto de tirar fotografias seja com máquina ou com o telemóvel e não interessa o sitio ou o material...mas que pelo menos tenham o menino de interesse, o que na maioria dos dias não tinham qualquer conteúdo ou sentimento da minha parte. A composição faz parte da fotografia e eu nisso falho um pouco. Gostava de ser mais criativa mas nesse aspecto tinha que explorar e sair mais. Hoje em dia a minha vida resume-se a trabalho, escola, casa e tempo de qualidade com a família.

Sim podia ser mais organizada. Já tentei deixar as minhas tarefas por escrito para cumprir...que foi por agua abaixo. Mas seguindo e andando. Nada de novo por estas bandas.

Não era para escrever no blog mas não consegui deixar de marcar este dia. Aliás, esta noite. Sim estou a fazer noite e para mim não é uma noite qualquer. Não vou dizer pormenores. Eu nunca fui muito fã de trabalhar a noite porque deixa-me de rastos e dois dias são passados a dormir o dia todo. Mas tinha as suas vantagens como por exemplo à noite não muitos problemas e ninguém chateia e quando quero trocar fico logo com dois dias de folga. Mas sempre foi uma tortura trabalhar a noite toda sem descansar. O corpo do ser humano não está programado para fazer isto como vida e chega a uma altura que estamos mais velhos....envelhecemos ainda mais rapidamente quando trabalhamos de noite.

Hoje é um dia especial. Faço noite. Mas esta noite é diferente. É especial. Emotiva no bom sentido. Acho que muita coisa a partir de agora vai ser assim.

quarta-feira, 18 de abril de 2018

#37




Não se deixem enganar pelos chinelos sintilantes. Hoje eu não fiquei em casa. Trabalhei e apenas isso foi o que consegui fazer da minha lista de afazeres. Mas a vida é mesmo assim, nem corre como planeado e como vem na lista de tarefas. E começo a pensar que quanto menos planeado melhor é.

segunda-feira, 16 de abril de 2018

#35



Isto trata-se de um verdadeiro fakepost se é que isso existe e se não isto passa a ser um fakepost porque:

- aquele passaporte é meu e fora de prazo a anos;
- aqueles livros de viagem sobre a Holanda praticamente nunca os usei;
- aquele livro “O Mapa até ti” ando a um mês a tentar lê-lo, mas é um bom livro, fofinho que só ele é foi-me oferecido por uma amiga que achou que a história se parecia com a minha ( sim o casal romântico conheceu-se a caminho de Amesterdão).
- não estou a planear viajar dentro em breve por isso não faz muito sentido a foto.


E aqui está o que é para mim um fakepost